Transição de carreira em tech: Como facilitar? — Parte I

Transição de carreira em tech: Como facilitar? — Parte I

Dicas para facilitar a sua transição de carreira ~ Por Fayra Miranda

Mulher segurando um computador no colo e livros de programação espalhados ao seu lado.

Diariamente, diversas mulheres entram em contato comigo e com a Dupla perguntando sobre transição de carreira para a área de tecnologia. Pensando nisso, decidimos escrever este texto sobre a transição e auxiliar o maior número de mulheres a fazer essa manobra nada fácil!

Em 2019, decidi realmente migrar de profissão de arquitetura e urbanismo para tecnologia. Mas como fazer isso? Como ingressar em universo totalmente diferente? Como lidar com a lógica de programação se você sempre foi de humanas? Como e quais assuntos estudar? Qual área seguir? Como lidar com um mercado majoritariamente masculino? Precisa de formação acadêmica tradicional para conseguir a primeira oportunidade?

Esse processo de migração, apesar de parecer rápido, fácil e linear, na realidade foi bem desafiador e levou um ano e meio. Dito isso, e pensando em diminuir suas dores na caminhada e economizar seu tempo, compartilho de forma objetiva e prática sete etapas/dicas, divididas em dois textos (essa é a parte I!)

1. Conheça-te: essa é a base de tudo

Sabendo sua motivação, será mais fácil enfrentar os “bugs”, frustrações, futuros processos seletivos e não desistir de continuar o movimento. Algumas reflexões que me auxiliaram a não desistir foram:

a) Que estilo de trabalho faz mais sentido para mim (remoto, híbrido, presencial, horário fixo ou flexível)?

b) Quais são os meu valores e do que eu não abriria mão?

c) Razões de eu estar decidindo fazer essa mudança?

d) Quais habilidades da minha antiga profissão que posso usar como diferencial?

2. Organize-se e experimente novas possibilidades

Inicialmente talvez você não saiba em qual área dentro de tecnologia seguir. Isso é normal, considerando a diversidade de opções. Para solucionar isso, estabeleci um período de um mês para experimentar, estudar, conhecer e entender o que faria mais sentido para mim. Uma meta que você pode aplicar é: Em cada semana diferente, durante um mês, vou conhecer (estudar, pesquisar e perguntar para profissionais) sobre: Desenvolvimento web, QA, BI e Data Science. As áreas e períodos podem ser estipuladas de acordo com o seus interesses. Nesse momento, vale abusar da internet e das redes sociais para pesquisar cursos, textos e grupos que debatem os temas.

3. Conecte-se, investigue e entenda o mercado

Antes mesmo de decidir migrar, eu me apaixonei pelas pessoas e pelo senso de comunidade da maioria dos profissionais de TI. Utilizei muito das redes sociais (Facebook, LinkedIn e Instagram) para me manter atualizada, conversar com profissionais e entender mais do mercado.

Tive mais certeza ainda quando encontrei ações voltadas para a inserção de mulheres e grupos minoritários nesse mercado.

As que mais me auxiliaram nessa transição foram:

4. Estude, estude mais, estude muito mais

Agora que você já sabe o que move a sua migração de profissão, já conheceu várias áreas, já se conectou com pessoas e coletivos incríveis, chegou a hora de estudar pesado e colocar mais ainda a mão na massa!

Para mim, essa parte foi a mais desafiadora, pois tinha dificuldade de encontrar equilíbrio entre a parte prática e teórica. Além disso, demorei para entender que só teoria não me tornaria uma pessoa programadora, precisaria de muita prática. Pesquisando, encontrei roadmaps (roteiros de estudo) para a área que eu desejava seguir (desenvolvimento web).

Com isso, montei um cronograma com momentos de prática e teoria (muita leitura de documentação). Comecei a procurar conteúdo gratuito que abordava os temas desse roteiro. Alguns canais e cursos que me auxiliaram nessa etapa foram:

… (continua na Parte II)

Gostou do que leu? Então não se esqueça de dar pelo menos 50 claps e curtir nossas redes! É um pequeno gesto mas que auxilia este conteúdo a impactar a vida de mais mulheres ❤

Deixe um comentário